Duas proteínas esconder o segredo de câncer de pele

Abril 21, 2017 jpdallavalle 0 Visualizações 0 Comentários
FONT SIZE :
fontsize_dec
fontsize_inc
Duas proteínas esconder o segredo de câncer de pele
Eu

Uma investigação conduzida pelo Conselho Superior de Pesquisas Científicas mostrou que as duas oncoproteínas, o vav3 Vav2 e controle do desenvolvimento de um dos cancros mais comuns da pele, carcinoma de células escamosas. A descoberta pode ser utilizada para criar alvos de drogas contra estes tumores e outras doenças da pele tais como a psoríase.
O carcinoma espinocelular é um dos cânceres mais comuns da pele em todo o mundo. É facilmente tratáveis ​​e raramente se torna mortal, mas às vezes chega a fase muito desenvolvida, o que dificulta o tratamento.
As proteínas Vav são dois gatilhos cancro da pele que estão relacionadas com a mobilidade e a proliferação celular. Graças à sua experiência com ratinhos geneticamente modificados os investigadores simularam o efeito da eliminação destas proteínas. Como explicado CSIC cientista Xosé Bustelo, o Centro de Salamanca Cancer Research "Com essa estratégia, você quer simular o efeito do uso sistêmico de inibidores contra essas duas proteínas teria sobre o aparecimento e progressão de tumores de pele e, enquanto a avaliação dos efeitos secundários que poderiam causar tal inibição em pele normal não tumoral ".
E os resultados foram mais do que satisfatório. Esta diminuição da remoção de tumores cutâneos induzidos em murganhos e não mostrou nenhum efeito sobre o desenvolvimento normal da pele, indicando que afecta a viabilidade de células tumorais especificamente.
Nas palavras de Mauricio Menacho? Márquez, CSIC pesquisador do Centro de Pesquisa do Câncer de Salamanca ", essas experiências indicam que Vav2 e vav3 desempenhar um papel importante na iniciação e desenvolvimento de câncer de pele através da promoção de vias de sinalização celular em células cancerígenas relacionadas com a sobrevivência das células DNA danificado, a proliferação e modificação microambiente tecido em que as referidas células crescem e se desenvolvem ". Além disso, como explicado pelo mesmo investigador, "muitos desses programas são ativados outras doenças de pele comum protumorigenic, tais como a psoríase," o que aumenta a importância desta nova descoberta científica.
O estudo, publicado recentemente na revista PLoS Biology, tem contado com a colaboração do Centro de Biologia Molecular CSIC "Severo Ochoa" eo Centro de Energia, Ambiente e Tecnologia.

  0   0

Comentários (0)

Sem comentários

Adicionar Comentário

smile smile smile smile smile smile smile smile
smile smile smile smile smile smile smile smile
smile smile smile smile smile smile smile smile
smile smile smile smile
Caracteres restantes: 3000
captcha