Pensamento maquiavélico entre macacos

Março 23, 2018 silverbolt 3 Visualizações 0 Comentários
FONT SIZE :
fontsize_dec
fontsize_inc
Pensamento maquiavélico entre macacos
Depois de seres humanos, macacos rhesus são uma espécie de primatas que mais sucessos conquistou. A chave? Eles também têm uma inteligência maquiavélica. É o que garante o primatologista Dario Maestripieri em seu livro Macachiavelliam Intelligence. Suas observações são o resultado de mais de duas décadas de intenso estudo do comportamento desses animais em várias partes da Europa, Atlanta e Puerto Rico.
Os macacos vivem em sociedades complexas com hierarquias de dominância e ligações duradouras entre as fêmeas relacionados. Indivíduos constantemente competir para alcançar um status social mais elevado e "poder" que ela proporciona. Para alcançar resort à agressão e nepotismo, e alianças políticas complexas estabelecidas. O sexo também pode ser usado para fins políticos. Em suma, um comportamento muito semelhante ao proposto pela astúcia Machiavelli, que alegou que o príncipe ou governante felicidade missão de seus súditos, e por um estado forte deve combinar diplomacia com coerção e violência, usando se necessário, para astúcia e engano.
Maestripieri também observou que nas sociedades de macacos, os machos dominantes recorrem à violência e ameaças para obter o resto dos lugares mais seguros, a melhor comida e sexo quando eles querem. Os membros mais fracos do grupo são marginalizados e forçado a viver nas áreas exteriores da comunidade, onde eles são vulneráveis ​​a ataques de predadores. Eles devem esperar pelos outros para comer em primeiro lugar e só tem acesso às sobras. "O status social também pode significar a diferença entre vida e morte em seres humanos", diz o pesquisador, e dá o exemplo do furacão Katrina e suas conseqüências graves para os membros mais pobres da sociedade.
No feminino, eles garantem sexo com o "líder" para aumentar as chances de que proteger seus bebês quando eles nascem. "Mas enquanto eu acredito que vai ser o pai, as fêmeas também acasalar com outros machos no grupo por trás deles", explica Maestripieri.
Macacos têm até mesmo lutas de poder intensos que podem levar a revolução, quando os membros da família governante é subitamente atacada por seus subordinados. "O que macacos e os seres humanos têm em comum é que muitas de suas tendências psicológicas e comportamentais têm tomado forma em intensa competição entre indivíduos e grupos, durante a história evolutiva", escreve o pesquisador. E sugere que a "pressão para encontrar soluções para os problemas sociais maquiavélicas" poderiam explicar porque nossos cérebros evoluíram para seu tamanho atual.
· Artigos relacionados humano contra chimpanzé Pensamento
· As formigas sabem que são mortais
  0   0

Comentários (0)

Sem comentários

Adicionar Comentário

smile smile smile smile smile smile smile smile
smile smile smile smile smile smile smile smile
smile smile smile smile smile smile smile smile
smile smile smile smile
Caracteres restantes: 3000
captcha